Governo Federal - Brasil - País rico é país sem pobreza

Dados do Projeto
Identificação
PRONAC NOME DO PROJETO PROPONENTE
1510465 Projeto Circo Social UNINASSAU INSTITUTO SER EDUCACIONAL
UF / Mecanismo / Área / Segmento / Processo
UF MECANISMO ÁREA CULTURAL SEGMENTO ENQUADRAMENTO
PE Mecenato Artes Cênicas Circo Artigo 18
Valores
SOLICITADO (A) OUTRAS FONTES (B) VL. PROPOSTA (C = A+B) APROVADO (D)
R$ 393.780,00 R$ 0,00 R$ 393.780,00 R$ 393.780,00
Síntese do Projeto
O Circo Social UNINASSAU é uma iniciativa do Instituto Ser Educacional, tendo como objetivo promover o acesso de pessoas com síndrome de down e deficiência intelectual à cultura e cidadania, através da arte circense. O projeto contemplará 60 adolescentes e jovens residentes na cidade do Recife. Terá a duração de 12 meses, distribuídos em 02 turmas de 30 participantes, com uma carga horária de 180 horas/aulas por turma, dedicadas aos conteúdos de técnicas circenses (ACROBACIAS - solo; EQUILÍBRIO - Arame, cilindro Chinês; MALABARES - bolinhas, claves, aro, swing, diabolô e double stick; entre outras,além de aulas de Balé Clássico e oficinas complementares, importante instrumento de suporte e preparo do corpo para o desenvolvimento das outras atividades). O projeto contempla também os familiares dos participantes através de encontros de grupo.
Objetivos

Objetivo Geral:

Realizar oficinas arte-educativas para adolescentes e jovens com Síndrome de Down e com deficiência intelectual, de modo a Propiciar, através da atividade circense, o acesso a arte e cultura como instrumentos de cidadania e inclusão social.

Objetivos Específicos:

• Possibilitar aos adolescentes e jovens com Síndrome de Down e com deficiência intelectual, o contato com o circo, incentivando o gosto pelas artes cênicas;
• Desenvolver atividades que propiciem confiança, aprendizado e autonomia
• Divulgar e manter viva a tradição do circo;
• Estimular o desenvolvimento da percepção espacial e visual e coordenação motora por intermédio das oficinas;
• Promover, aos familiares dos participantes, ações que possibilitem a troca de experiência e discussões relacionadas aos desafios de ter um filho com Síndrome de Down.

Resultados:

• 60 adolescentes e jovens selecionados para realização do projeto;
• Mínimo de 04 instituições articuladas para divulgação do projeto e articulação do público alvo
• 02 encontros com a equipe técnica realizados para apresentação do projeto e planejamento pedagógico das atividades.
• Conclusão de 100% da carga horária proposta no Projeto;
• Conclusão das oficinas por parte de, no mínimo, 90% dos adolescentes e jovens participantes;
• Desenvolvimento e evolução identificados em, no mínimo, 90% dos participantes em relação às dificuldades e desafios apresentados no início do Projeto;
• Desenvolvimento de habilidades e potencialidades em, no mínimo, 70% dos participantes do Projeto;
• No mínimo, 30 encontros realizados com os familiares dos participantes;
• Participação de, no mínimo, 80% dos familiares nos encontros realizados;
• Interação grupal por parte de, pelo menos 70% dos participantes;
• Compartilhamento de emoções e histórias de vida com o grupo por, pelo menos, 80% dos participantes;
• Percepção de acolhimento e escuta por, pelo menos, 90% dos participantes;
• No mínimo, 04 reuniões familiares, realização de cadastro sócio econômico de 100% dos participantes do projeto
• 01 reunião pedagógica realizada por semana, com a equipe de oficineiros.
 

Justificativa

O acesso à cultura nos países em desenvolvimento, como o Brasil, ainda é um processo que afeta as populações mais vulneráveis social e economicamente, que continuam a ficar à margem de suas manifestações. Focando no acesso à cultura por pessoas com deficiência, nos deparamos com um quadro ainda mais preocupante, haja vista que estudos apontam para o fato de que a nossa cultura está dirigida às pessoas “normais”, através de um consenso equivocado sobre a sincronia entre desenvolvimento cognitivo e biológico, quando na verdade a aquisição das ferramentas culturais é fundamental no processo de desenvolvimento e aprendizado.
De acordo com esta premissa, as dificuldades apresentadas por pessoas com síndrome de Down e com deficiência intelectual podem ser contornadas com a ferramenta da cultura e omitir-lhes este acesso é privá-las dos principais instrumentos para desenvolver-se.

É neste contexto e considerando o processo de inclusão como a construção de uma sociedade que respeite as diferenças e limitações de cada pessoa, valorizando suas habilidades e competências, que o Projeto Circo Social UNINASSAU foi pensado.

O Projeto encontra-se em seu segundo ano de execução. Atualmente é desenvolvido com 30 adolescentes e jovens com Síndrome de Down e deficiência intelectual. A execução desta turma só foi possível graças ao incentivo da Funarte, através do Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo 2013. Em outubro de 2015, foi selecionado para ser contemplado no ciclo 2015/2016 de financiamento do DAP, programa flexível de pequenos financiamentos oferecido pela governo da Austrália e gerenciado pelo Ministério de Relações Exteriores da Austrália.

De fato, pessoas com síndrome de Down necessitam ser estimuladas, para que se desenvolvam e as oficinas circenses vêm propiciando este desenvolvimento. A linguagem universal do circo predominantemente corporal e não-verbal aliada à metodologia do circo social tem a capacidade de interagir com públicos diversos e alcançar de forma diferenciada resultados relevantes no contexto da educação, formação, inclusão e transformação social. No Circo Social UNINASSAU, as atividades propostas com os participantes do projeto têm estimulado o grupo, a cooperação, o equilíbrio, o senso de direção e espaço, a criatividade e a participação. São indescritíveis os avanços e as possibilidades de intervenção através das oficinas circenses.

No Circo Social UNINASSAU a metodologia utilizada apoia-se numa intervenção participativa, baseada no aprender fazendo, com realização de oficinas de forma transversal, lúdica, com linguagem e metodologias adequadas aos usuários do projeto. Neste sentido, a metodologia empregada nas atividades é participativa (estimulando os participantes na análise e discussão dos temas); lúdica (integrando a diversão na aprendizagem); baseada no grupo e na comunicação (de forma a estimular a capacidade de resolução de problemas) e criativa (abrindo espaço para as produções e iniciativas dos participantes). A arte-educação, torna-se, segundo esses princípios, um método pedagógico no qual através da aprendizagem das disciplinas circenses é possível encontrar valores e desenvolver capacidades ligadas à prática específica do circo quais: superar os próprios limites, saber lidar e enfrentar o risco, melhorar a autoestima, a mútua confiança, a atenção pelos outros e pela segurança, o autocontrole e a disciplina; As oficinas realizadas trabalham a agilidade, percepção, confiança e envolvimento; O reflexo, a percepção do espaço e a consciência corporal; A concentração e a coordenação motora.

Um aspecto relevante se encontra no conceito de pedagogia dialógica apresentado por Freire, que pressupõe uma horizontalidade entre educador e educando. No projeto esse aspecto é favorecido, seja pelo fato que por tradição a transmissão dos saberes se baseia na oralidade, seja por que o ensino e a aprendizagem das técnicas circenses acontecem por meio das experiências vivenciadas através do corpo, que precisam ser compartilhadas entre educador social e educando. Na maioria das vezes, ver o educador executar o número torna-se, para aluno, muito mais profícuo que escutar uma descrição de como tal número deveria ser desenvolvido. O ensino das técnicas circenses então não acontece de maneira expositiva, mas através de uma troca continua de experiências entre instrutor e educando. Outro ponto da teoria de Freire que encontram suporte na natureza do Projeto, está no envolver nas práxis pedagógicas o conceito de diferenças, independentemente que sejam elas ligadas à subjetividade, às questões de classe, gênero, etnia ou culturais.


Neste sentido, por sua relevância e no intuito de dar continuidade as ações contemplando ainda mais pessoas com essas características, encaminhamos a proposta em tela para análise. O projeto contemplará 60 adolescentes e jovens residentes na cidade do Recife. Terá a duração de 12 meses, distribuídos em 02 turmas de 30 participantes, com uma carga horária de 180 horas/aulas por turma, dedicadas aos conteúdos de técnicas circenses (ACROBACIAS - solo; EQUILÍBRIO - Arame, cilindro Chinês; MALABARES - bolinhas, claves, aro, swing, diabolô e double stick; entre outras,além de aulas de Balé Clássico e oficinas complementares.

Como resultados, a execução do Projeto espera contribuir com o desenvolvimento destes adolescentes e jovens, propiciando os caminhos para o aprendizado, a autonomia, a confiança em si e no outro, além de uma perspectiva que permita a inclusão social.
         

Acessibilidade

Considerando que o Projeto Circo Social Uninassau é voltado para pessoas com Síndrome de Down e com deficiência intelectual, estas possuem necessidades especiais, de modo que segue abaixo as medidas tomadas para garantir o acesso e permanância dos participantes no Projeto:

Transporte - Para aqueles que tem dificuldade de acesso ao local do Projeto, seja pela distância ou seja pelas condições físicas, fica disponível um transporte tipo Van, responsável por ir buscar os participantes e seus respectivos responsáveis e levá-los ao local do Projeto, fazendo, logo que termine as atividades, o roteiro de volta. 

espaço acessível - O espaço onde o Projeto é realizado permite o acesso a participantes que possuam qualquer necessidade especial. Trata-se de um espaço esportivo com sala de ginática e sala de ballet, ambas com rampa, portas que permitam a entrada de cadeirantes e equipamentos de segurança. O espaço é arborizado e possui um estacionamento amplo. 

Equipe técnica - A equipe técnica do Projeto, foi pensada de modo que permita um melhor acompanhamento das atividades. Além de quatro educadores, quatro apoios fazem parte da equipe. Os apoios dão todo o suporte para que os educadores possam realizar as atividades. Além disto, a equipe passa, semanalmente, por uma supervisão pedagógica que orienta no planejamento das atividades, que devem ser pensadas de modo a incluir a todos os educandos, de acordo com suas habilidades, mas principalmente levando em consideração as suas dificuldades. 

Alimentação - Levando em consideração que pessoas com Síndrome de Down possuem tendência ao sobrepeso e à obesidade, o lanche serás composto por frutas, sucos, sanduiches naturais e outros considerados saudáveis.

Democratização de Acesso

O Projeto Circo Social Uninassau, em sua essência, já é uma iniciativa que tem como princípio  a democratização da arte e cultura para todos os públicos. Suas atividades são voltadas para um público que não tem a mesma igualdade de oportunidades. Além disso, integra públicos distintos, uma vez que contempla não só pessoas com Síndrome de Down, mas pessoas com deficiência intelectual. Sua realização é divulgada nos espaços de atendimento a estes segmentos, permitindo que qualquer pessoa com as caracteísticas do público-alvo, possam se increver e participar das atividades. Todas as atividades são gratuitas. 

Etapa de Trabalho

A execução do Projeto Circo Social UNINASSAU terá a duração de 12 (doze) meses de acordo com as seguintes etapas:

Pré - Produção

Planejamento e Organização inicial do projeto (mês 01): Nesta etapa serão realizadas ações que se refiram à operacionalização inicial do projeto, ou seja, articulação de parceiros, divulgação do projeto, inscrição e seleção do público alvo, contratação da equipe técnica, planejamento estratégico das atividades com o corpo técnico, planejamento pedagógico das aulas, organização da logística (material, lanches, etc.).

Produção


  Execução das oficinas (mês 02 ao mês 12): Com uma carga horária total de 360 horas/aula, distribuídas em 02 turmas de 30 participantes ( 180 horas/aula por turma), que vivenciarão oficinas de técnicas circenses ACROBACIAS - solo; EQUILÍBRIO - Arame, cilindro Chinês; MALABARES - bolinhas, claves, aro, swing, diabolô e double stick; AÉREO - Tecido e trapézio fixo; entre outras técnicas circenses utilizadas no picadeiro, além de aulas de Balé Clássico. 

Oficinas complementares ( mês 02 ao mês 12): Com uma carga horária de 120 horas/aula, a proposta é oferecer aos participantes a vivência com outras oficinas, a exemplo de capoeira, música, percursão, etc.

Encontros com os familiares (mês 02 ao mês 12): Serão realizados paralelamente às oficinas e representarão um espaço de acolhida e escuta para as mães e pais do Projeto Circo Social UNINASSAU com o objetivo de: Identificar e discutir os aspectos emocionais do exercício da maternidade e paternidade com filhos com Síndrome de Down; Identificar e compartilhar as mudanças na dinâmica familiar com a chegada do filho com Síndrome de Down; Analisar e discutir com o grupo as questões do preconceito relacionado aos seus filhos com Síndrome de Down.


Orientação Social (mês 01 ao mês 12): Acontecerá durante toda a execução do projeto, onde uma Assistente Social será responsável primeiramente pelo processo de seleção do público-alvo e posteriormente pela intervenção direta junto aos participantes e seus familiares, a partir do levantamento do perfil socioeconômico, reuniões periódicas com as famílias, visitas domiciliares aos casos necessários, encaminhamentos as redes de atendimento de acordo com o problema identificado.


Orientação Pedagógica (mês 01 ao mês 12): Realizada por uma pedagoga, que fará o acompanhamento junto aos oficineiros do Projeto, com o objetivo de planejar as atividades, direcionando-os aos resultados esperados.

Pós produção

Encerramento do ciclo de atividades, avaliação do Projeto, entrega de relatórios e prestação de contas aos patrocinadores (mês 12).

Em anexo segue cronograma de execução.

Ficha Técnica

Coordenação Geral: Sérgio Murilo Júnior - Advogado - OAB/DF: 12.731- Formação: Direito pelo Centro de Ensino Universitário de Brasília - CEUB, Pós-graduado em Marketing e Publicidade; Gestão de Instituições de Ensino Superior e MBA em Gestão Empresarial Sustentável - Faculdade Maurício de Nassau. Desde 2005 é Coordenador Executivo do Instituto Maurício de Nassau. Atuou como Secretário Parlamentar da Câmara dos Deputados (DF) - (Atuação na Comissão de Relações Exteriores e Grupo Brasileiro do Parlamento Latino-Americano) - 1997/1999; Coordenador de Cultura de Paz da UNESCO/PE - 2000/2003; Coordenador Executivo do Projeto Escola Aberta - Cultura de Paz e Lazer nas Escolas nos Finais de Semana - 2000/2002; Coordenador do Programa Nacional Paz nas Escolas em Pernambuco, pelo Movimento Tortura Nunca Mais - 2003/2004. Membro do Rotary Internacional; Membro da Comissão de Juventude do Parlamento Latino-Americano - 1997/2003; Presidente da Juventude Latino-Americana pela Democracia - JULAD/Brasil - 1997/2003; Membro Fundador do Comitê Nacional de Vítimas da Violência.

Coordenação Artística: Bóris Trindade Júnior - Diretor Circense, Educador social, Produtor e Pesquisador. Atualmente, coordena os Projetos Circo Social UNINASSAU, Pirueta Circo Social e o Programa Trampolim, além de fazer a direção circense e atuar na sua companhia, a Cia Brincantes de Circo. Formado pela Picadeiro Circo Escola/SP. É um dos fundadores da Escola Pernambucana de Circo - Recife. Durante seu processo de formação, participou de diversos cursos na Escola Nacional de Circo/ RJ, Central de Circo de Santa Tereza/RJ e Ecole de Cirque de Voiron - França. Atuou no Afroreggae como educador-social do Grupo Cultural Afroreggae; coordenador e administrador do Núcleo Cantagalo e do Espaço Benjamim de Oliveira; e diretor do Afrocirco. Ainda foi educador-social da Escola de Circo Pequeno Tigre do projeto Crescer e Viver.


Instrutores:

Tânia Trindade de Souza - Professora de Ballet Clássico. Tem formação em ballet clássico na Escola de Ballet Clássico Betsy Gates 1947 - 1950 e no Ballet da Prefeitura Municipal do Recife - Teatro Santa Isabel 1951 – 1957 onde também atuou como professora. É membro fundador da Academia de Artes e Letras de Pernambuco - Cadeira n° 27 / Patrono: Coreógrafa Ana Regina Moreira. Entre outros já atuou como professora de ballet: no Pirueta Circo Social, Vila dos Comerciários, Clube Português do Recife, Academia de Ballet Tânia Trindade, Casa da Cultura do Recife, Centro Social Novaes Filho - Prefeitura Municipal do Recife, Colégio Municipal Reitor João Alfredo - Prefeitura Municipal do Recife, Conacem (Comité nacional de Cidadania dos Ex. Combatentes Militares das Forças Armadas), Circo Social UNINASSAU e no programa Aulas de Ballet - TV Universitária/Recife. 

Ivo Amaral Luiz da Silva -Circense, Produtor e Educador social na área de Malabares, Aéreo e Acrobacia de solo. Técnico em Eventos - UNINASSAU (Cursando). Participou de diversas oficinas e cursos na área circense, entre eles: Técnicas circenses / Rede Circo do Mundo - 1998, Oficina de acrobacia aérea / Festival de Circo do Brasil - 2007, Técnicas de Acrobacia de solo / Rede Circo do Mundo – 1999, Clown - Um ator por trás do nariz / Feteape - 2003, Formação Agente Cultura Viva / Ministério da Cultura - Programa Cultura Viva - 2005/2006, Formação de Educadores de Circo Social / Rede Circo do Mundo/Brasil & Cirque du Soleil - 2004/ 2005/ 2006 e 2007. Atuou como educador na Trupe Etnia - Projeto promover e viver direitos / Recife, na Escola Pernambucana de Circo/ Recife, no Projeto Multicultural/ Prefeitura do Recife, no PIPA (Projeto de Inclusão pela Arte) - CENAP / Recife, no Instituto Bom Pastor/Recife, Circo Social UNINASSAU.


José Carlos da Silva -Circense e Educador social na área de Malabares. Participou de diversas oficinas e cursos, entre eles: Curso de Mímica / Projeto Multicultural-Recife - 2006; Oficina de Expressão Corporal / Projeto Multicultural-Recife - 2007; Curso de Arte Circense - Salvador-BA /2007; Curso de Danças Regionais e Ballet Clássico na Academia Nádja de 2004 a 2006; Oficina O Papel do Ator como Artista Criador / Refinaria Multicultural Sítio da Trindade - 2006. Atuou como educador no Projeto Circo Social UNINASSAU 2014/2015; no SESC São Lourenço da Mata - 2014/2015, na Fundação de Atendimento Socioeducativo FUNASE 2014; no Projeto Pirueta Circo Social de 2011 a 2013; no Projeto Aprendiz no Picadeiro 2010 / 2011; no Hotel NANNAI 2010 / 2011; na ONG: Centro SUVAG de Pernambuco; no Festival de Inverno de Garanhuns 2010; no Festival de circo do Brasil 2009 / 2010; na Escola Pernambucana de Circo - 2007.

Jaqueline Trindade de Souza- Circense e Educadora social na área Acrobacia aérea. Graduanda em Educação Física (em andamento). Participou de diversas oficinas e cursos, entre eles: Oficina de Técnicas circenses -Rede Circo do Mundo / 1998, Técnicas de Acrobacia de solo - Rede Circo do Mundo / 1999, Técnicas de Acrobacia Aérea e Cama Elástica /Central de Santa – RJ / 2005, Escola Pernambucana de Circo de 2005 a 2009, Formação de Educadores de Circo Social - Rede Circo do Mundo/Brasil & Cirque du Soleil de 2004 a 2007, Festival de Circo do Brasil / 2004 e 2005, SESC São Lourenço da Mata – 2015, Circo Social UNINASSAU / 2014 e 2015.

Monitores:

Euler Kelebe Oliveira da Silva - Circense e monitor circense. Participou de diversas oficinas e cursos, entre eles: Técnica em Corda lisa - III Mostra Dragão do Mar de Canoa Quebrada 2012, Oficina de Tecido - III Mostra Dragão do Mar de Canoa Quebrada 2012, Malabarismo com Bandeiras - III Mostra Dragão do Mar de Canoa Quebrada 2012, Técnica de Acrobacia de Solo - III Mostra Dragão do Mar de Canoa Quebrada 2012, Técnica de Contorção - Arricirco 2010, Técnica Avançada de Contorção com Bayarmaa Ganbaatar 2014. Como educador de contorção atuou na Mostra Dragão do Mar de Canoa Quebrada 2013 e como monitor atuou no Circo Social UNINASSAU 2014 e no Arricirco (Arraial Intercultural de Circo do Recife) 2013.
 

Amarílis Lima Filgueira - Professora de Ballet Clássico. Formação Artística em Dança. Participou da Cia de Ballet Clássico - Prefeitura Municipal do Recife – Teatro Santa Isabel / coreógrafa Tânia Trindade - de 1968 a 1986. Participou do Curso de Ballet Popular / Recife - 1984. Como monitora atuou no Circo Social UNINASSAU, Pirueta Circo Social, Colégio São José, Clube Português do Recife, Teatro Santa Isabel - Ballet da Prefeitura Municipal do Recife, Academia de Ballet Tânia Trindade, Colégio Municipal Reitor João Alfredo – Prefeitura Municipal do Recife e Conacem (Comité nacional de Cidadania dos Ex. Combatentes Militares das Forças Armadas) e no programa Aulas de Ballet - TV Universitária/Recife

Assistente Social: Adriana de Lima Silva-Técnica em Administração e Graduada em Serviço Social - 2013.Atuou como assistente social no Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social (CENDHEC), na Secretaria de Assistência Social - SEAS - Prefeitura Municipal de São Lourenço da Mata, Diretoria de Proteção Básica, no Centro de Atenção psicossocial álcool e outras drogas - CAPS-AD - Prefeitura Municipal de Camaragibe/PE, no Programa Trampolim/ Recife, que trabalha com adolescentes e jovens que cumprem ou já cumpriram algum tipo de medida socioeducativa. De 2014 até os dias atuais participa do Projeto Circo Social UNINASSAU, atuando com adolescentes e jovens com síndrome de down e/ou deficiência intelectual.

 Coordenação Pedagógica: Josefa Jerlâne da Silva -DRT – 3013. Atriz, Palhaça, Educadora e pesquisadora. Licenciada em letras - 2011 e Pós-graduada em Gestão de cooperativas - 2014. Atua desde 2012 como Oficineira de leitura – UNINASSAU e desde 2014 como coordenadora pedagógica - Circo Social Uninassau. É revisora de texto e pesquisadora da pesquisa intitulada Laboratório de palhaçaria uma pesquisa sobre o palhaço no Brasil realizada desde 2012 pela Cia 2 em Cena com o incentivo do FUNCULTURA.

 

Coordenação Administrativa: Mônica C. Dornelas de Albuquerque -Graduada em Serviço Social, 2002 – UFPE, MBA em Gestão Empresarial Sustentável - Faculdade Maurício de Nassau, Pós-graduação em Direitos Humanos, incompleto - Universidade Católica de Brasília - UCB. Entre 2001 e 2011 fez a supervisão, planejamento e coordenação de diversos projetos no Movimento Tortura Nunca Mais e, desde 2011 atua como Analista de Projetos - Instituto Ser Educacional, tendo atuação nos seguintes projetos: Programa Gente de Futuro: assessoria técnica, Projeto Pirueta Circo Social: Supervisão e avaliação do Projeto, Projeto Circo Social UNINASSAU: Coordenação administrativa. 

Planilha Orçamentária
Incentivo Fiscal Federal
Curso / Oficina / Estágio
1 - Pré-Produção / Preparação
PE - Recife
  Item Vl. Solicitado Dias Qtde Ocor. Vl. Unitário Vl. Sugerido Justif. do Proponente Justif. do Parecerista
1 Assistentes 1.000,00 0 1 1 1.000,00 1.000,00 Contratacao de 01 assistente financeiro que sera responsavel por executar as atividades financeiras e administrativas do projeto, realizar compras de acordo com o orcamento aprovado.
2 Coordenação artística 2.500,00 0 1 1 2.500,00 2.500,00 O coordenador artistico atuara junto a coordenacao pedagogica, cada um em seu ambito profissional. Nesta etapa, ele sera responsavel por construir, de acordo com o planejamento pedagogico das oficinas, numeros artisticos.
3 Coordenação geral 2.500,00 0 1 1 2.500,00 2.500,00 Contrata��o de um coordenador geral para gest�o de todas as atividades do Projeto. Na pre producao sera responsavel apoiar o instituto ser educacional na mobilizacao e articulacao de parcerias, alem de coordenar toda a etapa de incricao e do publico alvo junto ao assistente social.
4 Coordenação pedagógica 1.700,00 0 1 1 1.700,00 1.700,00 Responsavel pelo planejamento pedagogico das oficias, junto aos oficineiros.
5 Coordenador técnico 1.700,00 0 1 1 1.700,00 1.700,00 Responsavel por garantir o planejamento das atividades do projeto, organizar de acordo com o planejamento, toda a logistica necessaria para a realizacao das atividades.
Total da UF 9.400,00 9.400,00
Total da Etapa 9.400,00   9.400,00  
2 - Produção / Execução
PE - Recife
  Item Vl. Solicitado Dias Qtde Ocor. Vl. Unitário Vl. Sugerido Justif. do Proponente Justif. do Parecerista
6 Assistente Social 12.100,00 0 11 1 1.100,00 12.100,00 A assistente social, nesta etapa, ser� respons�vel pelas seguintes atividades: Realizar cadastro de sa�de e s�cio econ�mico de todos os participantes, realizar reuni�es com os respons�veis legais dos participantes, realizar visita domiciliar quando houver necessidade e realizar encaminhamento para a rede s�cio assistencial de acordo com as demandas levantadas.
7 Assistentes 11.000,00 0 11 1 1.000,00 11.000,00 Contratacao de 01 assistente financeiro que sera responsavel por executar as atividades financeiras e administrativas do projeto, realizar compras de acordo com o orcamento aprovado.
8 Camisetas 2.000,00 0 80 1 25,00 2.000,00 Considerando que o projeto contemplar� 60 participantes mais seus respons�veis legais, foi cadastrado 60 camisas para os seus familiares ( uma por responsável do educando) e 20 camisas para equipe e patrocinadores.
9 Coordenação artística 27.500,00 0 11 1 2.500,00 27.500,00 O coordenador artistico atuara junto a coordenacao pedagogica, cada um em seu ambito profissional. Nesta etapa, ele sera responsavel por construir, de acordo com o planejamento pedagogico das oficinas, numeros artisticos.
10 Coordenação geral 27.500,00 0 11 1 2.500,00 27.500,00 Contratacao de coordenador geral para realizar a gestao do projeto, realizando a representacao institucional junto a parceiros, patrocinadores e na gestao de equipes.
11 Coordenação pedagógica 18.700,00 0 11 1 1.700,00 18.700,00 Responsavel pelo planejamento pedagogico das oficias, junto aos oficineiros.
12 Coordenador técnico 18.700,00 0 11 1 1.700,00 18.700,00 Responsavel por garantir o planejamento das atividades do projeto, organizar de acordo com o planejamento, toda a logistica necessaria para a realizacao das atividades.
13 Instrutor 40.000,00 0 10 4 1.000,00 40.000,00 Serão contratados 04 instrutores, sendo 01 de ballet clássico, 01 de Malabares, 01 de Equilíbrio e 01 de Acrobacia.
14 Locação de equipamentos 25.000,00 0 10 1 2.500,00 25.000,00 Loca��o de equipamentos circenses para as oficinas (Cama el�stica, minitramp, colchonetes, lin�leos, aparelhos para a�reo, outros)
15 Monitores 34.000,00 0 10 4 850,00 34.000,00 Serão contratados 04 monitores que auxiliarão os instrutores, haja vista a especificidade do público alvo e a necessidade de um maior acompanhamento no desenvolver das atividades.
16 Oficineiro 6.000,00 0 120 1 50,00 6.000,00 Serão contratados oficineiros para a execução de oficinas complementares (capoeira, música, percussão...), com uma carga horária mensal de 12 horas, totalizando 120 horas ao longo dos 10 meses.
17 Refeição 54.000,00 0 10 720 7,50 54.000,00 Lanche para os participantes do Projeto,sendo contabilizado da seguinte forma ( 60 lanches x 03 dias por semana x 04 semanas = 720 lanches/mes x 10 meses) Observaçao 01 - Considerando que os familiares também são beneficiárias do projeto e que estas acompanham os educandos nos dias de atividades, na contabilização do lanche, eles foram contemplados. Observaçao 02 - serao 60 (educandos e responsaveis) participantes durante 05 meses e mais 60 (educandos e responsaveis) nos 05 meses seguint
18 Sacolas 1.200,00 0 60 1 20,00 1.200,00 60 sacolas personalizadas para os participantes do Projeto.
19 Uniforme 3.000,00 0 60 1 50,00 3.000,00 Uniforme para participantes do projeto, composto por uma camisa e um short.
Total da UF 280.700,00 280.700,00
Total da Etapa 280.700,00   280.700,00  
3 - Divulgação / Comercialização
PE - Recife
  Item Vl. Solicitado Dias Qtde Ocor. Vl. Unitário Vl. Sugerido Justif. do Proponente Justif. do Parecerista
20 Assessoria de Comunicação 24.000,00 0 12 1 2.000,00 24.000,00 Contrata��o de empresa para realizar a divulga��o do Projeto junto a imprensa e m�dia digital, al�m da comunicacao com patrocinadores.
21 Banner/faixa adesiva/faixa de lona/saia de palco/testeira/pórtico 700,00 0 2 1 350,00 700,00 Material de divulgação do Projeto. Aquisição de 02 banners, sendo 01 com fotos e 01 com a descrição do projeto.
22 Revista / Encarte de revista 15.000,00 0 1 1 15.000,00 15.000,00 Publica��o de revista no ultimo m�s do Projeto para divulga��o dos resultados, sendo 01 Servi�o que contemple todo layaut e 1.000 unidades impressas)
23 VT varejo acima de 30"/Vinhetas acima 30" 5.000,00 0 1 1 5.000,00 5.000,00 VT institucional de divulga��o do Projeto.
Total da UF 44.700,00 44.700,00
Total da Etapa 44.700,00   44.700,00  
Total da Curso / Oficina / Estágio 334.800,00   334.800,00  
Administração do Projeto
4 - Custos / Administrativos
PE - Recife
  Item Vl. Solicitado Dias Qtde Ocor. Vl. Unitário Vl. Sugerido Justif. do Proponente Justif. do Parecerista
24 Contador 18.000,00 0 1 12 1.500,00 18.000,00 Realizacao de todo o serviço contabil do projeto
Total da UF 18.000,00 18.000,00
Total da Etapa 18.000,00   18.000,00  
5 - Recolhimentos
PE - Recife
  Item Vl. Solicitado Dias Qtde Ocor. Vl. Unitário Vl. Sugerido Justif. do Proponente Justif. do Parecerista
25 Contribuição Patronal 40.980,00 0 1 1 40.980,00 40.980,00 Recolhimento de INSS patronal contabilizado de acordo com 20% do valor total gasto com pagamento de pessoal.
Total da UF 40.980,00 40.980,00
Total da Etapa 40.980,00   40.980,00  
Total da Administração do Projeto 58.980,00   58.980,00  
Total do Incentivo Fiscal Federal 393.780,00   393.780,00  
Total do Projeto 393.780,00   393.780,00  

MINISTÉRIO DA CULTURA
Branch|Tag: heads/v1.8.2 - revisão: v1.8.2